[ Principal ][ Biografias ][ Releituras ][ Novos escritores ]

© Projeto Releituras
Arnaldo Nogueira Jr



Mário Prata


Ata da Assembléia do Naná

Mário Prata


Aos 22 de agosto de 1998, sábado, nas dependências de um apartamento situado na Rua Pernambuco, nesta capital, deu-se a criação da organização não-governamental denominada N.A.N.A (Nem Alcoólicos, Nem Anônimos), na presença dos seus três sócios-fundadores, os escritores e jornalistas Fernando Gomes de Morais, Matthew Gary Shirts e Mario Alberto Campos Morais Prata que secretariou e redigiu esta ata.

Entre outras providências, decidiu-se que:

Podem afiliar-se ao Naná todos aqueles que bebiam e não bebem mais, desde que não sejam anônimos.

Depois de acalorada discussão, chegou-se à conclusão de que os afiliados serão denominados nanicos. Havia um facção que tentava introduzir o nome nanistas, mas, por causa de prováveis trocadilhos futuros e manuais, optou-se pela primeira hipótese.

Será encaminhada cópia desta ata e convite para ingresso ao Naná aos senhores compositor Francisco Buarque de Holanda, escritor João Ubaldo Ribeiro, dramaturgo Benedito Ruy Barbosa, jornalista Sílvio Lancellotti, designer Flavio Del Carlo, entre outros.

Chegou-se à conclusão de que a vantagem de tomar cerveja sem álcool é que, por ser pouco consumida, está sempre geladinha nas geladeiras dos bares e restaurantes.

Por iniciativa do nanico Fernando, fez-se um voto de louvor ao ex-governador Orestes Quércia, que proibiu o uso de bebidas alcoólicas nas estradas paulistas, fazendo com que todos os postos tenham a sem álcool.

Ainda no item cerveja, o nanico Mateus informou que no Pão de Açúcar, da Praça Pan-Americana, está em promoção cerveja sem álcool, alemã, no que foi muito aplaudido.

Os recentes desempenhos sexuais dos integrantes nanicos foram mutuamente ovacionados, incluindo a mulher de um deles.

Entre as atividades esportivas, instituiu-se um campeonato de pôquer entre os nanicos com a finalidade única de entrarem para o Guiness, pois será a primeira rodada de pôquer sem álcool, do mundo.

O sabor das comidas (qualquer uma) também foi assunto efusivamente comentado e degustado.
Depois de duas caixas de cervejas, os sócios-fundadores, por unanimidade, chegaram à conclusão de que, antes, não tinham mais idéia do que era acordar (muito menos dormir) bem. Foi feita uma moção a todos os bares e restaurantes que servem a cerveja sem álcool em São Paulo, no Brasil e - por que não? - no mundo.

Será feita uma vaquinha entre os nanicos para que um dos sócios possa ir até a cidade de Madri, na Espanha, experimentar o lá fabricado uísque sem álcool e, em caso de aprovação, importar algumas caixas e, se possível, o Naná vir a ser o representante oficial de tal raridade, abaixo do Equador.

Decidiu-se que as roupas que não servem mais aos associados (os três juntos emagreceram 31 quilos) serão doadas para instituições de caridade que cuidam de alcoólatras em geral ou em particular.

Constatou-se que todos os signatários presentes tiveram de mudar o grau dos óculos, uma vez que passaram a enxergar muito melhor. E mais: dois deles deixaram de roer as unhas.

Foi prestada uma singela homenagem a vários brasileiros que não bebem mais, como Vinícius de Morais, Tom Jobim, Tarso de Castro, Marquito e Jânio Quadros.

Ficou definida como sede de campo do Naná o São Pedro Spa-Médico, de Sorocaba. Jogos de futebol -- já que todos voltaram a jogar, e bem -- será no campo particular do co-sócio Chico Buarque, no Rio de Janeiro.

E, por estarem todos embriagados de lucidez, sobriedade e felicidade, deu-se por encerrada a reunião, com todos os presentes fazendo um brinde (com suco de tomate importado) a Jesus Cristo, aquele que ficou famoso por transformar sangue em vinho e vinho em água.


Texto extraído do jornal "O Estado de São Paulo", 1998.

Conheça a vida e a obra de Mario Prata visitando "Biografias".

 

[ Principal ][ Biografias ][ Releituras ][ Novos escritores ]

© Projeto Releituras — Todos os direitos reservados. O Projeto Releituras — um sítio sem fins lucrativos — tem como objetivo divulgar trabalhos de escritores nacionais e estrangeiros, buscando, sempre que possível, seu lado humorístico,
satírico ou irônico. Aguardamos dos amigos leitores críticas, comentários e sugestões.
A todos, muito obrigado. Arnaldo Nogueira Júnior.
® @njo